Sistemas multi-repetidores com comportamento incorreto?

Veja as possíveis causas

A área de cobertura de qualquer site de rádio é determinada por vários fatores. Os técnicos as vezes consideram erroneamente a cobertura de saída (que é do repetidor ou base para o rádio portátil) como a extensão da cobertura do sistema. No entanto, a cobertura do sistema de rádio é determinada pelo caminho de entrada (rádio portátil para o repetidor).

Em termos leigos: qual é o sentido de ter um sinal quando você não pode responder?

A tentação de alguns técnicos, é operar o (s) repetidor (es) na potência máxima ou além da potência de TX para a qual o sistema foi licenciado.
Isso funciona em sistemas convencionais em uma só direção, onde é necessário apenas que os usuários de rádio ouçam comandos e, na maioria dos casos, não respondam a eles. Este conceito também funcionou bem em paging, onde havia comunicações unilaterais com uma antena ruim e desgastada com o tempo.

Em um sistema convencional multi-sítio ou troncalizado digital, os rádios dependem da cobertura em ambas as direções (ou seja, de entrada e saída), uma vez que um rádio usará o canal de controle para medir a intensidade do sinal e se registrará caso o rádio puder ser ouvido pelo repetidor.

Isso significa que a potência de TX em sites repetidores, precisa ser configurada de modo que o RSSI de entrada e de saída sejam iguais na borda da área de cobertura de entrada.

Em termos gerais: o sinal de saída só deve levá-lo até o sinal de entrada.

Um princípio semelhante é aplicado no GSM; TETRA e LTE. Esses sistemas são configurados para que um terminal ou um dispositivo, não tente se registrar a um site, se o site não puder ouvi-lo. Na verdade, essas tecnologias empregam métodos adicionais para garantir que o link seja confiável.

Como um rádio em um sistema terá apenas o canal de controle RSSI (intensidade do sinal) e BER (taxa de erro de bit) para determinar a adequação do local, precisamos garantir que o seguinte não aconteça:

O canal de controle no site está definido para 25W. A perda de inserção do hardware e dos cabos de filtragem de RF é de 9 dB. O ganho da antena é de 6dBd. O ERP será, portanto, 12W.
Se este for um sistema UHF, a perda do caminho de espaço livre será em torno de 113dB. Isso significa que haverá cerca de 0,54µV (ou -72,3dBm) no receptor de um rádio portátil a 25 km de distância em condições realmente ideais.

Agora, supondo que o ganho da antena no portátil seja 0dB o ERP será em torno de 4W em alta potência.
Uma vez que a perda do caminho no espaço livre será a mesma em ambas as direções, a intensidade do sinal na antena em um local alto, será em torno de 0,14μV (ou -124dBm) e com as perdas de inserção, o sinal no conector do repetidor, será de 0,1μV (ou -127dBm).

Há 100% de chance de que o repetidor não ouça a tentativa de registro do rádio, mesmo que o sinal recebido no rádio esteja bom.

Uma situação semelhante ocorrerá quando o rádio fizer roaming para, registrar-se no site, enquanto ele está dentro da área de cobertura de entrada (sombreado em verde abaixo). O rádio permanecerá neste local mesmo quando se deslocar para uma área onde não há cobertura de entrada, mas o sinal de saída do local é bom (sombreado amarelo abaixo).

Então, como você resolve isso?

Existem várias maneiras de resolver isso, mas um dos métodos mais fáceis é usar uma ferramenta de análise que usa informações de rádio que já podem estar instalados.

Se você estiver usando rastreamento de localização ou tiver rádios com GPS, poderá obter algumas informações adicionais de um sistema Digital que representará a intensidade do sinal e a localização em um mapa.

Sempre que um rádio envia sua localização, a ferramenta irá capturar essas informações e armazená-las por um determinado período de tempo. Então, quando aquele usuário fala, a força do sinal no repetidor é medida e armazenada junto com a última localização conhecida daquele rádio.

A mesma ferramenta (ou semelhante) pode ser usada para medir a intensidade do sinal de saída. No entanto, isso exige que o usuário faça um teste de unidade com um rádio e um laptop. Algumas ferramentas têm a capacidade de pesquisar remotamente o rádio, permitindo que a intensidade do sinal seja medida.

Todos esses dados são colocados em um mapa, permitindo que você analise e determine se a potência de TX do repetidor precisa ser ajustada.

O processo acima pode precisar ser repetido algumas vezes para obter o desempenho ideal. Também pode ser necessário repetir o teste em diferentes condições (por exemplo, alto ruído de RF ou clima extremo).

Segue uma ferramenta que pode fazer as medições acima:

Ronaldo Wilmann Cidade

Diretor Técnico
CFT 49160290030
 

Ainda não é associado?

Caso queira ser associado, basta entrar no link abaixo e fazer sua inscrição.